sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Visão

«'Isto parece o Estado Novo'

Depois do caso TVI, Medina Carreira sente-se no estado novo, de Salazar e Caetano. Num novo livro, arrasa a classe política e dá as suas soluções para 'endireitar o País'. Dêem-lhe hora e meia de televisão, em canal aberto, que ele promete 'virar muita gente do avesso'...

Aos 78 anos, Henrique Medina Carreira é um dos mais lúcidos observadores da realidade portuguesa. Como consegue manter o cérebro tão oxigenado? "Trabalhando, lendo, escrevendo e zaragateando", responde. Ora aí está uma receita original de um neto de um democrata republicano opositor de Salazar - Jacinto Medina - e filho de um historiador, António Barbosa Carreira. Tanto o pai como a mãe Carmen, eram de Cabo Verde e Henrique viveu a sua infância na Guiné-Bissau. Bacharel em Engenharia Mecânica, advogado, professor, considera-se "um jurista que sabe fazer contas". É um dissidente do PS, tendo sido ministro das Finanças no I Governo Constitucional, liderado por Mário Soares. E, sob a forma de uma longa entrevista, assina, com o jornalista Eduardo Dâmaso, o livro Portugal que futuro - o tempo das mudanças inadiáveis, a lançar no próximo dia 14, e onde é tão cáustico sobre o estado do País e tão cruel para com a classe política como nas célebres entrevistas na SIC Notícias.»

Para ver o resto da entrevista: http://aeiou.visao.pt/isto-parece-o-estado-novo=f528470

3 Things you have to say about it:

Liano DriMi disse...

muito bem, minha querida amiga...
para esclarecer estou cá eu. e pelos vistos fui mal interpretado. quem acha q tem a verdade não és tu...tu és até por vezes demasiado condescendente com quem não devias, mas pronto.tu já me conheces e não é d ontem, por isso sabes muito bem que eu uso demasiados exemplos para explicar o meu ponto de vista. no caso do meu comentário usei dois.o do pedreiro armado em electricista e o do caso d eu m armar em dono da verdade. deve-se tentar ler nas entrelinhas do q eu digo, mas tentar também não tomar como indirectas. às vezes faço-as, mas não é o caso.
tu sabes muito bem que eu aprecio imenso os teus comentários. aliás, são os que me deixam mais ciente do caminho a seguir. são dos mais acertados e uma maneira d manter ainda viva a amizade q nos uniu e q eu queria q continuasse a unir. se tu queres acabar com isso por t sentires magoada por algo q eu disse, então acaba!eu peço-t na msma desculpa.sabes bem que eu sou d dar a outra face...
mais uma vez te digo, não tomes a mal as minhas palavras. o que tu dizes tem demasiada importância para mim. e o q eu disse não era dirigido a ti.

pensa nisso...

Liano DriMi disse...

(Joana)eu apenas reescrevi o q comentei no meu blogue tanto no teu, como no do Paulo. tá certo que deveria ter separado as águas, mas não o fiz e agora não há mta volta a dar.
tu, primeiro, és livre d dar a tua opinião. está na constituição e é um direito pessoal. segundo, a tua opinião é importante. faz o mundo aprender algumas coisas. várias até. terceiro, eu dou mt valor ao q tu dizes. é um problema? s o for, é meu e ng tem nada a ver com isso. quarto, s quem censurou foi o governo ou o PS há-d-s descobrir. não t preocupes q sim. quinto, o Portas(Paulo Portas) é candidato à Assembleia Municipal de Arouca... sexto, a ideia não era comparativa, mas sim explicativa. mas pronto, dei apenas a minha opinião. tentei fundamentar como pude. tu tb fundamentaste a tua ideia como pudeste. somos todos felizes. s não somos é pq não deu...
agr não t zangues cmg por causa disto... eles(políticos) é q s ficam a rir...

Liano DriMi disse...

é assim. parto do princípio q aquilo era para mim.
eu sou contra Manuela Ferreira Leite (não sou contra nenhum PSD...eu não tenho partido nenhum com que me identifique) desde que esta foi ministra da educação e olha q nessa altura eu era politicamente ingénuo. mas já a tinha topado. hoje mesmo tive a prova de que a mulher não sabe comunicar o que pensa e o que não pensa. mais, mostra tiques de xenofobismo e racismo e isso eu não lhe admito. não admito a ninguém. quanto a gaffes Manuel Pinho foi dos melhores ministros da economia que o país teve e era uma gaffe autêntica ele próprio. até saiu por causa d uma gaffe e a dizer gaffes. isso não o impediu d ser um bom ministro. Manuela também poderia ser uma boa primeira-ministra, mas no caso dela, revela falta de transparência, os tais tiques xenófobos e más políticas sociais, de saúde e de educação. Isto só para não dizer péssimas. Eu não darei maioria absoluta a ninguém. Já deves ter ouvido falar na minha orientação de voto...(PDA,PDA,PDA) Não vejo razão nenhuma para apoiares o deboche que é a tão afamada "asfixia democrática". Não sei em que te baseias. Daí não perceber o chamares de ditador ao Sócrates. Mas não vou defender a ninguém. Tento defender a mim e já é muito.
Eu não quero mudar para pior. Não quero ser obrigado a ter um seguro de saúde e pagar uns 200 euros ou mais só para ir fazer um curativo qualquer, coisa simples, que agora se faz sem quase dar satisfações a ninguém. Não quero ter de ter uma poupança qualquer sem saber do risco que se corre ao ter esse dinheiro investido de modo a obter algum lucro para poder envelhecer de uma maneira digna. Não quero passar a vida sabendo que o salário mínimo não sai do mesmo valor nem que eu trabalhe mais e melhor e nem que o valor do dinheiro aumente. Não quero que se faça o mesmo erro de pré-Fontes Pereira de Melo em que o resto do mundo evoluía e Portugal não tinha caminhos-de-ferro de jeito. Claro que é preciso arranjar outra forma de financiar as obras de futuro. Mas dizer não é que não é solução. Aliás, dizer não quando já se disse que sim (a mesma pessoa que disse que sim em congresso com Espanha e em conselho de ministros diz agora não.e a conjuntura é idêntica). E só porque se soube que os espanhóis queriam o TGV(um exemplo) em Portugal para receber mais dinheiros comunitários. Não importa o que os outros querem. O que importa é o que nós precisamos. Ela não deve precisar de TGV. Claro, não vai ao Porto, nem a Madrid, nem a Aveiro, nem a Coimbra, nem a Évora, nem a Sines, nem a Badajoz. Mas há quem vá. Acho eu.
É verdade que custa admitir as virtudes dos outros, mas eu dela não vejo nenhuma. Eu até que gostava de pagar só 17 % de IVA. Mas isso é miragem ou recordação...
Se queres falar mal do Sócrates, eu ajudo-te. Só não vamos é inventar. Boa?

Obrigado por não deixares de falar e comentar só por causa de politiquices...